domingo, 14 de setembro de 2014

Resenha de O Doador de Memórias


Olá Leitores!

Terminei essa madrugada de ler O Doador de Memórias, de Lois Lowry, Editora Arqueiro. E que livro!!! Se o filme for fiel a ele, será excelente!

Jonas, o nosso personagem principal. Um rapaz com boas notas, educação exemplar e que vive cheio de questões em sua cabeça que não consegue responder. Ele vive em um mundo construído como sendo ideal: não existe dor, desigualdade, guerra, felicidade ou amor. A vida é pacata e estável, e as pessoas caíram na mesmice. Sendo assim, sentem-se "satisfeitos" com a vida que tem.

Eles conhecem apenas o presente, o passado não existe em nenhuma memória e o futuro é totalmente planejável. O intuito de não se ter memórias? Proteger todos os habitantes do sofrimento, dor e de qualquer desgosto que poderiam ter. 

Em cada ano escolar a criança tem uma nova função. Para aprender a ser uma pessoa melhor. Por exemplo: aos 9 anos podem ter sua bicicleta, que é o meio de transporte da comunidade, onde serão preparados para terem independência e saírem sozinho para suas funções. Aos 12 eles são preparados para a vida adulta e cada um jovem de 12 anos recebe a sua atribuição, ou em outras palavras, profissão. São treinados para exercerem a sua função de forma exemplar, e, em minha opinião, robótica!

No dia da nomeação das atribuições Jonas vê seus amigos receberem suas funções. No entanto, ao chegar a sua vez ele é pulado. Sentem-se aflito e sem entender nada. No entanto, a Anciã responsável (a comunidade é governada por Anciãos, que são tipo o nosso governo) chama seu número e lhe dá a atribuição mais importante da comunidade: A de Recebedor de Memórias.

Jonas recebe uma relação de coisas que devem fazer e sobre o horário do seu treinamento com o Doador de Memórias. Ele é o indivíduo designado a guardar todas as memórias, de dor, guerra, sofrimento, tristeza, felicidade e amor. O objetivo é que essa pessoa seja responsável de proteger o povo e ao mesmo tempo ter sabedoria para auxiliá-los com questões que eles não saibam lidar. 

Ao começar o treinamento com o Doador, Jonas, aos poucos, vai recebendo as memórias e entendendo o que o ser humano é muito mais do que ele sabe. Muito mais do ele viveu. Muito mais do que a comunidade vive. Ele conhece o universo que lhe fora roubado. E ele começa a se questionar se não há uma vida melhor fora da comunidade...

"Poder escolher é que é importante né?" pág. 102

Eu fiquei presa a leitura e louca para a continuação. Afinal, a caminhada de Jonas está apenas no começo. Jonas não teve a oportunidade de viver nada que vivemos. Ele não tinha sentimentos. E quando passou a ter descobriu que essa é a melhor sensação. Principalmente do amor! Afinal, que graça tem viver de uma forma totalmente planejada? Sem nenhuma memória? E, principalmente, sem poder escolher o que é melhor para você? Não poder escolher profissão, com quem casar e nem os filhos que terá? Tudo é planejado, arquitetado e monótono! Uma vida que Jonas não quer mais para ele e nem para a comunidade em que vive. Que quer fazer uma mudança. E ele, determinado, vai em busca disso!

Um livro cheio de questionamentos e ensinamentos. Onde o melhor dele é sabermos que temos a opção de escolhermos o melhor! De não viver em um mundo robotizado e sem graça! Bom? Não! Excelente!

Adicione no Skoob:

Onde comprar?

sexta-feira, 5 de setembro de 2014

Resenha de Não Se Apega, Não


Olá Leitores!

Enfim, terminei o tão comentado livro Não Se Apega, Não, de Isabela Freitas, Intríseca. Fiquei até quase 2 das manhã lendo e, não me arrependo. Estou morrendo de sono, mas esse livro vale cada palavrinha escrita.

Isabela conta sua própria experiência no livro. Apesar de nova, já quebrou muito a cara, e não somente relacionamentos amorosos, mas com amizades também. Ela conta como era a Isabela e como ela aprendeu a se desapegar. Um processo duro e doloroso, mas necessário em seu crescimento.

"Cair menina, se reerguer mulher." pág. 22

Antes de ler o livro eu achava que era um ET no meio de tantas pessoas falando de desapego. Só que Isabela me deixou tão feliz ao escrever um livro com a linha de pensamento parecida com o meu! Poxa vida, as pessoas vulgarizam demais a palavra desapegar. Desde quando desapego é ir para a balada e pegar todos? Desde quando desapegar é colecionar homens, ou mulheres, igual se fosse um álbum de figurinhas? E se algum beijar melhor ou for mais bonitinho até compensa repetir a dose. Acho que eu nasci do avesso!

"Só é feliz a dois quem já é feliz sozinho." pág. 39

No entanto, esse livro mostra exatamente ao contrário! Desapegar e não carregar coisas em sua vida que vão pesar demais a bagagem. É deixar no passado o que é do passado. É não querer reviver momentos que não podem, e nem devem, ser revividos. É pensar em você ao invés de tentar moldar alguém para você! É deixar ir quando necessário sem fazer dramas ou cair na balada achando que isso vai resolver. 

"O desapego é se libertar de tudo aquilo que te faz mal e causa sofrimento." pág. 221

O livro deve ser lido e relido sempre que necessário. É daqueles livros que tem frases marcantes, que devem ser escritas na porta do guarda roupa como lembrete! Deve ser lido, principalmente, por aqueles que acham que a "lei do desapego" é sair por ai cantando: "eu sou de todo mundo e todo mundo é meu também". Não pensem que estou julgando quem faz isso. Não! Cada um faz o que bem entende da vida. Mas, não fale que isso é desapego, mas sim uma forma de vida que você mesmo escolheu, ok?!

"Lembrar-se do passado com um sorriso é a prova de que o passado não te machuca mais. Não mais." pág. 196

Com certeza esse foi um dos melhores livros do ano! Parabéns Isabela pelo belo livro, por escrever tão bem e de forma tão leve! Se virei fã?! Siiiiim!!! Pena que no skoob não dá para colocar mais estrelas... E você que não leu, leia! É uma excelente leitura!

Adicione no skoob:

Onde comprar?

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

5 Livros que deveriam virar filmes

Olá Leitores!

Bom, com as leituras sendo colocadas em dia, descobri muita coisa boa! Livros com histórias tão boas que deveriam virar filmes!

Sendo assim, vou citar uma lista de 5 livros que li recentemente e que, sim, deveriam muito virar filmes. São eles:

1) Reconstruindo Amélia, de Kimberly McCreight, Arqueiro.

Resenhei esse livro há pouco tempo. O li em questão de semanas, pela falta de tempo. Mas, o livro é daqueles em que você quer chegar no final e descobrir todo o mistério. 
O livro daria um excelente filme de suspense/policial. Cheio de quebra cabeças e várias surpresas.
Alguém já leu? Se não, confiram a resenha aqui. E sim, leiam o mais rápido possível!

2) Átina Black e o Império de Cronos, Valentine Cirano, Laço Editorial.

Gostam de mitologia grega? Pois bem, eu adoro e me perco entre as páginas de livros assim! O livro é nacional, foi lançado oficialmente na Bienal do Livro de São Paulo, e fez um sucesso com os jovens!
Então, o livro é de uma jovem semideusa, Átina, que vai enfrentar grandes aventuras. Ai vocês me questionam, mas o Percy Jackson já é assim. Ok! Mas, por que não ter uma protagonista feminina? Uma jovem que enfrentará grandes batalhas para salvar o Olímpo?
O grande diferencial é esse! Uma jovem guerreira que luta com todas as suas forças para salvar seu pai, Zeus, da fúria de Cronos.


3) Vinte Garotos no Verão, de Sarah Ockler, Novo Conceito.

Outro livro resenhado recentemente. Bem jovem. Seria tipo uma comédia romântica sabe? Que eu adoro! E seria ótimo ver Anna e Frankie aprontado todas nas férias de verão. 

4) Passarinha, de Kathryn Erskine, Valentina.

A editora fez muito barulho com esse livro. E com toda razão. Trata-se de uma criança com autismo e que supera a si mesma todos os dias. Um livro lindo e comovente, e sim, com humor na dose certa. Daria tudo para ver esse livro virando filme e retratando um problema que não é tão falado. Pelo menos não com a devida seriedade.

5) Caminho das Águas, Eva Zooks, Independente.

Li o livro esse ano e confesso, a autora escreve muito bem! Um livro que envolve passado e presente e que daria um drama de primeira qualidade! O livro tem continuação e já estou procurando saber quando sai. Um romance, com drama e suspense. Os três principais itens dessa excelente história.

Gostaram da minha listinha?
Qual livro vocês acham que deveria virar filme?

terça-feira, 2 de setembro de 2014

Resenha de O Resgate

Olá Leitores!

Mais uma resenha. Dessa vez é do queridinho Nícholas Sparks, O Resgate, lançado pela Arqueiro.

Denise, mãe solteira, de um menino de apenas 4 anos, Kyle, que tem precisa de cuidados, já que tem problemas de fala. Sendo assim, ela largou a sua vida profissional para dedicar-se ao filho. 

Desde pequeno Kyle se mostrara diferente das outras crianças e, ao perceber isso, Denise o levou ao médico. Durante um ano obteve vários diagnósticos: déficit de atenção, autismo ou surdez. E a cada resultado Denise dedicava-se a ler e entender o problema do filho para ajudá-lo. No entanto, nenhum tipo de método para ensiná-lo dava certo e Denise criou o seu próprio método para ensinar seu filho. E sim, dando resultados positivos.

Denise se muda de Atlanta. Ela herdou uma casa de sua tia que veio a falecer e então, junto com o filho, foi viver uma nova vida. No entanto, um acidente muda a vida deles. Denise conhece Taylor McAden, que salva a ela e se filho do acidente. Os começam a se conhecer melhor e acabam de apaixonando.

Contrariando todos os livros do autor, esse não há um impedimento para o amor do casal Denise e Taylor. Eles se dão bem, e muito bem. Se completam. A relação de Taylor com Kyle também é boa. Uma relação saudável. E Denise é sim uma boa mãe.

O que torna a história atrativa e bela é a própria experiência do autor Nícholas Sparks. O personagem Kyle foi inspirado em seu filho Ryan, que também teve dificuldades de aprendizado. Todo processo narrado por Denise para ensinar o filho, Nícholas passou na vida real. E a sua própria experiência fez o livro ficar mais emocionante.

Um livro, cheio de emoção e, claro, amor! Acho que esse é o sentimento que rege o autor. Como sempre, Nícholas foi brilhante ao escrever esse livro!

Adicione no Skoob:

Onde comprar?

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Resenha de Se Eu Ficar


Olá Leitores!

Muito tempo sem vir aqui né? Mas, acredito que consegui organizar novamente o meu tempo. E ontem terminei de ler o livro Se Eu Ficar, de Gayle Forman, Novo Conceito, e que tristeza que deu ao ler esse livro. Bom vou explicar.

Mia, nossa jovem protagonista, não é a mais badalada da escola, mas é uma menina quieta, sorridente e bonita. Que tem uma família apaixonada por música e, consecutivamente, ela também é. Seu pai fazia parte de uma banda de punk rock. Já Mia foi atraída pela música clássica e toca violoncelo. E já que tudo gira em torno da música, logicamente o seu amor também é músico. Adam, um rapaz da sua escola, popular e que tem uma banda de rock. Além da família e de Adam, Mia tem uma amiga, uma super amiga, Kim.

"As pessoas acreditam no que querem acreditar." pág. 64

Em um dia de muita neve, as aulas e trabalhos foram cancelas. Afinal, a neve não dava condições para que ninguém saísse de casa. No entanto, em um certo momento do dia, o tempo começou a firmar, e a família resolveu dar um passeio de carro. Rumo a casa da sua avó. Mas, um acidente interrompe o passeio. Mia se vê desesperada, pois o carro de sua família foi arremessado longe e não consegue ver os seus pais, somente o seu irmão Teddy. 

Porém, Mia consegue avistar seus pais... Em uma situação que não gostaria jamais de vê-los. Sim, seus pais morreram. E ela, sabe disso logo que os avista. Em meio ao tumulto de ambulâncias e socorristas, Mia percebe que seu irmão Teddy ainda está vivo. E o mais importante, ela percebe que está inconsciente... Ao perceber isso Mia começa a se desesperar. Afinal, como pode isso acontecer? A sua alma pode sair do seu corpo mesmo não estando morta e ficar vagando por ai? Vendo tudo e não podendo fazer nada?

E é ai que tudo começar. Mia começa a ver seus familiares chegarem ao hospital para ficar com ela. Vê sua amiga Kim chegar, apesar da pode de durona, ela está sim preocupada. E vê Adam, tentando não desmoronar! 

O livro todo é contato por Mia. Ela intercala as lembranças do passado e momento presente, em que está no hospital. E ela tem a difícil missão: decidir se realmente quer ficar ou partir dessa vida...

"As mulheres podem suportar o pior tudo de dor. Você vai descobrir isso um dia." pág.129

Sinceramente, nunca senti tanta vontade de chorar em um livro! Um aperto constante em meu peito durante toda a narração. E fiquei pensando: será que todos nós, quando entramos em coma, ficamos com essa missão de decidir se vamos ficar ou não? Mia não tinha nem 18 anos e já tinha essa imensa responsabilidade! Tinha uma família incrível, mas que se ficar, iria ter que aprender a viver sem ela. Tem um namorado que é apaixonado por ela, e que se for, não poderá tê-lo mais. Tem uma amiga, uma super amiga, que faz tudo por ela, e que se for, também não a terá mais. Tem avós que são especiais, e que apesar da dor, sabem que a decisão é dela. E ela? Não sabe como agir... Ela quer ficar com a sua família, mas ao mesmo tempo não quer ficar sem aqueles que ficaram... Então, o que ela vai decidir? (cenas dos próximos capítulos)

Se você gosta de um belo drama, cheio de emoção, é recomendadíssimo! A autora usou sabiamente cada palavra. Me teletransportou para o livro e me fez ver as cenas com muita clareza. Cinco estrelas no skoob e uma louca vontade de ler a continuação! 

Ps: Aguardando o filme para ver se serão fiéis ao livro!

Adicione o livro no skoob:

Onde comprar?

sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Lançamentos Agosto - Arqueiro, Saída de Emergência e Sextante

 Olá Pessoal!!

Mês começando e a Arqueiro, Saída de Emergência e Sextante estão cheias de novidades para vocês!!

A Promessa do Tigre, de Collen Houck

"Medo. Esperança. Dúvidas. Antes da maldição, uma promessa. Mais de 300 anos antes de Kelsey Hayes surgir na vida de Ren e Kishan, uma jovem cruzou o caminho dos príncipes. Seu amor por um deles mudou o curso da história e o destino da família Rajaram. Criada longe dos olhos da corte, isolada do convívio no castelo, Yesubai luta para suportar os maus-tratos do pai e manter em segredo suas habilidades mágicas. Lokesh é um poderoso e cruel feiticeiro que foi capaz de assassinar a própria esposa porque ela lhe deu uma filha em vez de um filho. Ao completar 16 anos, Yesubai é surpreendida por um anúncio do rei. Procurando fortalecer suas relações diplomáticas, o nobre acredita que um casamento entre a filha de Lokesh, comandante de seu exército, e um pretendente de algum dos reinos vizinhos será uma boa estratégia para diminuir os conflitos na região. A jovem recebe a notícia com alegria. Pela primeira vez ela enxerga um fio de esperança, a perspectiva de escapar do controle do pai e de levar uma vida fora do confinamento de seus aposentos. Mas esses não são os planos do feiticeiro. Ele vê no iminente casamento de Yesubai uma oportunidade de conseguir ainda mais poder e não poupará esforços para atingir seus objetivos sombrios. 'A promessa do tigre' conta a origem da história dos príncipes Ren e Kishan e os acontecimentos que levaram às aventuras da aclamada série 'A maldição do tigre'."

O Doador de Memórias, de Lois Lowry

"Ganhadora de vários prêmios, Lois Lowry contrói um mundo aparentemente ideal onde não existe dor, desigualdade, guerra nem qualquer tipo de conflito. Por outro lado, também não existe amor, desejo ou alegria genuína. Os habitantes da pequena comunidade, satisfeitos com suas vidas ordenadas, pacatas e estáveis, conhecem apenas o agora - o passado e todas as lembranças do antigo mundo foram apagados de suas mentes. Uma única pessoa é encarregada de ser o guardião dessas memórias, com o objetivo de proteger o povo do sofrimento e, ao mesmo tempo, ter a sabedoria necessária para orientar os dirigentes da sociedade em momentos difíceis. Aos 12 anos, idade em que toda criança é designada à profissão que irá seguir, Jonas recebe a honra de se tornar o próximo guardião. Ele é avisado de que precisará passar por um treinamento difícil, que exigirá coragem, disciplina e muita força, mas não faz idéia de que seu mundo nunca mais será o mesmo. Orientado pelo velho Doador, Jonas descobre pouco a pouco o universo extraordinário que lhe fora roubado. Como uma névoa que vai se dissipando, a terrível realidade por trás daquela utopia começa a se revelar. Premiado com a Medalha John Newbery por sua significativa contribuição à literatura juvenil, este livro tem a rara virtude de contar uma história cheia de suspense, envolver os leitores no drama de seu personagem central e provocar profundas reflexões em pessoas de todas as idades."

Bem-casados, Nora Roberts

"Bem-casados, terceiro livro da série Quarteto de Noivas, é uma linda história sobre a doçura do amor. Quando terminar de lê-lo, você terá certeza de que os sonhos podem se realizar das formas mais inesperadas. Parker, Mac, Emma e Laurel, amigas de infância, ganham a vida realizando o sonho de inúmeros casais apaixonados. As quatro são proprietárias da Votos, uma empresa de organização de casamentos. 
Após ter trilhado um caminho muito duro para conseguir ser alguém na vida, Laurel McBane se tornou a criadora dos bolos e quitutes mais lindos e saborosos do estado. Ela preza sua independência acima de tudo e não aceita que ninguém interfira em suas decisões. Talvez por isso, apesar do sucesso profissional, ainda não tenha se entregado ao amor. Apaixonada desde sempre por Delaney Brown, irmão de Parker, ela nunca teve coragem de revelar seus sentimentos. Afinal, sabe que é como uma irmã para ele. Advogado da Votos, Del se sente responsável por cuidar não só dos assuntos burocráticos da empresa, mas também do bem-estar das quatro sócias. Porém, sua postura paternalista e superprotetora começa a gerar desentendimentos entre ele e Laurel.  Mas essas diferenças de opinião também fazem ferver uma química que vinha cozinhando em fogo brando havia muito tempo, acendendo uma faísca que eles não sabem se conseguirão – ou se querem – conter.  Agora Laurel e Del precisarão conciliar suas convicções e personalidades para que o orgulho não fale mais alto que a paixão."

Outlander, A viajante do Tempo, de Diana Cabaldon

"Em 1945, no final da Segunda Guerra Mundial, a enfermeira Claire Randall volta para os braços do marido, com quem desfruta uma segunda lua de mel em Inverness, nas Ilhas Britânicas. Durante a viagem, ela é atraída para um antigo círculo de pedras, no qual testemunha rituais misteriosos. Dias depois, quando resolve retornar ao local, algo inexplicável acontece: de repente se vê no ano de 1743, numa Escócia violenta e dominada por clãs guerreiros. Tão logo percebe que foi arrastada para o passado por forças que não compreende, Claire precisa enfrentar intrigas e perigos que podem ameaçar a sua vida e partir o seu coração. Ao conhecer Jamie, um jovem guerreiro escocês, sente-se cada vez mais dividida entre a fidelidade ao marido e o desejo. Será ela capaz de resistir a uma paixão arrebatadora e regressar ao presente?"

De Volta ao Mosteiro, James C. Hunter

"Em “De Volta ao Mosteiro”, Hunter retoma a história do monge e do executivo dois anos depois do retiro onde se conheceram. Eles se reúnem com os outros cinco participantes do primeiro seminário em busca de uma compreensão mais profunda sobre a formação de grandes líderes. O reencontro traz à tona uma dura constatação: só um dos integrantes do retiro anterior conseguiu colocar em prática os poderosos princípios aprendidos. Enquanto revela as razões para isso, Hunter nos convida a refletir sobre nosso comportamento. Será que estamos agindo como verdadeiros líderes em casa, no trabalho e com os amigos? Com novas percepções a respeito de como as pessoas podem vencer suas barreiras internas e fazer mudanças significativas em suas vidas, este livro ensina os passos necessários para o desenvolvimento das habilidades de liderança. Além disso, aborda um tema rico e ainda pouco explorado: a construção de comunidades de alto desempenho. Da cultura de excelência ao trabalho de equipe, do comprometimento ao companheirismo, da importância dos relacionamentos ao crescimento pessoal, James C. Hunter nos brinda mais uma vez com um livro transformador, capaz de nos tornar pessoas melhores e de melhorar a vida das pessoas à nossa volta."

Muitas novidades né?
Espero que tenham gostado! 

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Resenha de Reconstruindo Amélia

Olá Pessoal!!!

A resenha de hoje é do livro da Editora Arqueiro, Reconstruindo Amélia, de Kimberly McCreight.

O livro conta a história de Kate Baron, mãe de Amélia, advogada de uma grande empresa e que quase não pára em casa em função do trabalho. No meio de uma reunião importante Kate recebe uma ligação da escola de Amélia, pedindo que a mesma compareça com urgência no local.

Sem saber como agir, pois é a reunião da sua carreira, Kate pede a uma colega, Daniel, para representá-la, pois Amélia precisava dela. Kate sai em disparada para a escola. No entanto, os 20 minutos para chegar a escola se transformaram em 1 hora. 

Quando Kate chega a escola é surpreendida por uma cena que jamais pensou em ver: Amélia estava morta! E, segundo fontes, teria sido por suicídio. Mas, no fundo, Kate não acredita que a própria filha tenha se matado. Afinal, ela conhecia Amélia! Ou será que não conhecia? Alguns dias após a morte da filha, Kate começa a receber mensagens anônimas falando que a Amélia não tinha se matado. Com essa informação, Kate vai até a delegacia para reabrir o caso e descobrir o que realmente aconteceu com a sua filha. Com a ajuda do tenente Lew, Kate começa a reconstruir o caso, juntando um quebra cabeças e descobre que, talvez, ela não tenha realmente conhecido a sua filha...

A narração do livro é ótima. A autora intercalou as passagens de Amélia, antes da morte, e da investigação da mãe, fazendo com que o leitor tenha curiosidade de juntar todas as peças desse caso. Não é uma narrativa sensacionalista ou cansativa, é uma narrativa que desperta curiosidade.

A criação dos personagens foi realmente ímpar. Kimberly criou Amélia, Kate e todos os envolvidos na trama com muitas maestria. Ao ler Reconstruindo Amélia, senti raiva de alguns personagens, pena de Kate e o tenente Lew de uma inteligência genial! A história começou a me prender desde o início do livro, fazendo com que a curiosidade de saber o que realmente havia acontecido com Amélia fosse maior. Me surpreendi com a Amélia, uma menina quieta, na maioria do tempo, mas cheia de segredos. Senti pena de Kate em muitas de suas descobertas. E me surpreendi com o final do livro. O menos esperado possível e muito bom!!

É o primeiro livro que leio da autora e, sim, excelente! Se eu tivesse a oportunidade de dizer a ela o quanto seu livro é ótimo, não pensaria duas vezes! É um livro que vale a pena ler! Envolvente e, como já disse, de um final surpreendente! Cinco estrelas no Skoob, mas pra mim, ele é nota 10! Se tornou um dos favoritos!

Adicione o livro no Skoob:

Onde comprar?